quarta-feira, 21 de novembro de 2012

100% BrasiusiusiusiusiLLLLLL !

Brasileiros e Brasileiras, amigos, camaradas e companheiros, este ano decidimos fazer uma 100% Brasil ! E adivinhem........foi show de bola!

Tínhamos apenas uma semana ( 12 dias ) para realizar esta viagem, incluindo os feriados. A viagem inicialmente programada era lagos andinos no Chile, mas teríamos quatro dias de viagem de ida mais quatro dias de volta e apenas alguns dias para ficar lá. Pensamos em fazer algo diferente do que já fazíamos e optamos pelo Brasil por um roteiro que seria bonito de se ver e divertido de passar todos os dias. O roteiro inicial era Chapada dos Veadeiros , Jalapão, Lençóis Maranhenses, Chapada Diamantina, Salinas e cidades históricas de Minas e Sum Paulo. Isto nos daria um total de quase 9000 km para 12 dias de viagem, uma média de 700 km o dia mas sem tempo de ver nada. Decidimos reduzi-lo para 5000 km e cortamos Lençois Maranhenses e capitais no Nordeste para Chapada dos Veadeiros, Jalapão, Chapada Diamantina, Salinas e cidades históricas em Minas Gerais. Acredito que foi a decisão acertada, pois assim conheceríamos estes pontos que são fantásticos e ainda não fazem parte do meu portfólio de viagem ( rsrsrsrs ). Teoricamente o roteiro não apresentaria muitos desafios, pois a única dúvida era as condições do asfalto pelo Centro-Oeste e Nordeste, mas estando de GS, isto não deveria apresentar um grande problema. Começamos a viagem .....
Fizemos SP - Brasilia em um dia de tempestades torrenciais ! Mas fizemos o de praxe, 1010 km em um dia. As estradas são excelentes e para pagar a língua, não pegamos um buraco. Se pegamos, nem vimos, pois a sempre40 (140 km/h) apenas vai e a suspensão da GS é fantástica, quem tem sabe o que estou falando....Neste trecho mais uma vez a máxima se confirmou : Não há equipamento que aguente 12 hrs de chuvas torrenciais, principalmente se tiver a etiqueta BMW. Suponho que os alemães não gostam de água, pois não parecem fazer testes nestas condições. Quando abri meus baús laterais, pularam alguns sapos, peixes e o Nemo que saiu a procura de seu pai ! PQP! Mas catso Hachide, seus baús já tem uma certa idade né ! Concordo, mas os do Wlamir não.....e tinha água tbm.....em um deles !
Vou continuar comprando minhas 'roupitchas' da HD mesmo. Eles não sabem fazer moto, mas as roupas são à toda prova ! Esta piadinha é velha ....mas o fato é que HD não quebra! Também não freia, não faz curva ( Não concordamos com isso, certo Plabão ? ) e não deixa você sem um sorrisão na cara qdo dirige! (risos)
Velha estratégia de secagem de equipamentos

Começa os causos...Viajar no Brasil é uma diversão a parte e a vantagem que saindo de São Paulo é fácil interagir com qualquer pessoa. Sem contar o fato que qualquer um quando vê a moto já diz :
  1. Nossa, que nave!
  2. Vixi, corre quanto ?
  3. Caí a 120 km/h....
  4. Meu primo morreu...
  5. Tem 90 km de estrada de barro aí na frente...mas com estas máquinas vocês vão fácil ...
  6. Quanto vale esta moto , uns 60 mil ?
  7. Ôoooo Paraíba, chama o Mato Grosso que tá com o Baiano, atrás do Ceará arrumando o caminhão com o Gaúcho pra ver esta moto!
  8. Arrrreee Égua.....quantos litros entra neste negócio.....vai mais que carro!
Em Ribeirão Preto, paramos para abastecer e um senhor(sr) se aproximou-se dizendo que havia ido pra Foz no feriado de finados. Em seguida:
(sr)-Vão pra onde ?
Respondemos: Jalapão.
(sr)-Nossa, Jalapão ?
(sr)-Íamos pra Machu Picchu este ano, mas um amigo nosso morreu num acidente de moto, bateu de frente com um caminhão e decidimos cancelar a viagem.
Pensei comigo: "Puta urubu do inferno, saí pra lá".
Continuou o papo furado e volta a pergunta :
(sr)-Jalapão fica onde mesmo ???

HAHAHAHHA

Bom, socamos a mão e chegamos em Catalão, Goiás. Abastecemos e começou o choque, 3 pilas o litro da gasolina. Esta é a parte ruim de ter uma GSA, qualquer abastecida vão-se 100 paus pro vinagre. No posto mesmo comemos o nosso PF, não foi bem um pf, foi uma pão de queijo recheado com queijo e presunto. O saco sem fundo do Wlamir sugeriu um churrasco no pão naquele postão bala. Comemos e rezei pelas horas que viriam depois daquela refeição nobre algo aconteceria no meu "estombo" ou não, mas como diria o estatístico: "Impossível não é, mas pouco provável". Na saída um sujeito com aquele sorrisão profundo ( visão da garganta já que os dentes já se foram ) começou o discurso:
-Morei em Sum Paulo, lugar bom, lá na Sé, mas tive que sair, muito maloqueiro malandro. 
Pensei comigo : "maloqueiro honesto ? "


Logo após vem a pergunta saideira...
- Tá bom de trabalho lá?
(eu) - Não, tá péssimo ! Aqui tá muito melhor !
- O que vcs tem ai nas malas , bala ou droga ?
(eu)- Roupas amigão.
Pude ver a face de desgosto do sujeito com a resposta. (rsrsrs)
Saímos de Catalão, Go e toca pra Brasilia...ficamos preocupados ao chegar Brasilia e visitar a parte central da cidade, portanto escondemos a carteira, fechamos os baús, mudamos a senha do cartão de crédito e débito, mas deu tudo certo. Não encontramos nenhum político!


Catedral de Brasilia

Brasilia ou toilete estilizado

Brasilia ou vaso com caixa de água

Dia seguinte tocamos pra Chapada dos Veadeiros ( calma meus amigos, não assanhem-se, o nome é Chapada dos Veadeiros, não VIADEIROS).

Bom, Alto Paraíso de Goias, muito exoterismo, E.Ts, chás e chuva.... Chuva pra diabo, chuva pra ET e pra quem quiser. Apostamos no lugar e deu pra conhecer o Parque estadual, alguns pontos turísticos e etc.
ET empalado há anos! Os outros não virão por medo de acontecer o mesmo!


Stonehenge brasileira.
Rumo à vila de São Jorge

Dormimos na vila de São Jorge, na entrada do parque estadual. A pousada era bem legal, mas com muita emoção. Logo no início da estadia escuto o Wlamir dizer:
-Véião, vc não vai acreditar no que tem aqui no quarto....
Eis que vejo uma caranguejeira gigante passeando no quarto.....Wlamir com toda calma do mundo diz que não deveria me preocupar..pois aquela aranha era uma aranha de jardim , inofensiva. Inclusive, havia criado uma em um aquário. Bom, fiquei tranquilo né mas achei a história toda bem esquisita. Já na recepção, conversando na pousada citamos a dita cuja e a dona da pousada disse:
-nossa....uma caranguejeira ?
-não, era aranha de jardim...
-ela era assim assim e assado ?
-sim....
-certeza que era caranguejeira !
Que beleza.....

D. Aranha - aquela de Jardim

Na recepção da pousada uma invasão de siriri e sapos.....as duas moças varrendo tudo que podia pra fora da recepção....muito engraçado.....o sapo cantava e fazia um banquete com os siriris....pois é, ele morreu coitado.....explodiu!
Seguimos para a pizzaria do ET., comemos duas pizzas grandes, estávamos um pouco com fome.....mais duas Skols.....nossa Wlamir, vc é uma draga ! Eu comi dois pedacinhos só!
Dia seguinte fizemos uma trilha no parque onde todas as piadas já foram feitas via facebook.
(Shitão....te pegamos na curva ainda !)


Pizzaria do ET. ET = meu amigo Fabião.
Chapada dos Veadeiros - Cachoeira de São Bento
Chapada dos Veadeiros - Trilha das cachoeiras
Dia seguinte, dá-lhe chuva de novo. Rumo : Jalapão! Mas antes, advinha quem apareceu no quarto de novo? A D. Aranha ...que agora que tinha certeza que  não era de jardim....escuto meu estimado amigo em voz alta:
-Véio, acho que o quarto é dela ....da D. Aranha ! Em paralelo, achamos uma baratinha, esta sim foi morta e posta ao lado da aranha. O encontro foi promovido pelo Wlamir. Estranhamente, após 1 hr,  não estavam lá nem a D. Aranha nem a barata. Isto porque era uma aranha de jardim....

Motociclistas, as estradas são muito boas até o Jalapão e até então rodamos 2000 km.
Pegamos 100 km de estrada ruim entre Teresina de Goias a Montes Belos, depois, velocidade de 140 km/h .... Sem pedágio, sem radar, só tapetes. As estradas pra Campos do Jordão e Lindoia são off-road perto das que pegamos.
Resolvemos dormir em Ponte Alta do Tocantins. Cidadão de primeira!


É pouco, mas é o que deu !

Achamos uma pousada ainda em Goias, isto nos economizou tempo. Mudamos o destino de Palmas - TO pra lá. A distância de Palmas até o Jalapão daria 120 km a mais. Os passeios são longínquos e a infra muito deficiente ( mas as estradas são animais ). Se fossemos pra Palmas, teríamos mais 3 hs de estradas pra lá mais a volta. Logo, bora pra entrada do Jalapa. Como chegamos relativamente tarde, 7hrs, só havia um lugar pra comer aberto, adivinhem : Pizzaria ! PQP.

Pedimos dois sabores, à moda e calabresa. Em certo ponto da janta, perguntei ao Wlamir:
-Vai que sabor agora ?
Wlamir :
-Faz alguma diferença, tem tudo o mesmo gosto !
HAHAHAHA. Trash DEMAIS !

Prêmio Cocar do ano pra nós. Chegamos lá e descobrimos o seguinte:
  1. Faz-se os passeios em Ponte Alta.
  2. Um dia de viagem pra Mateiros, TO com passeios.
  3. Dorme-se em Mateiros e mais passeios pra dormir em São Felix.
  4. Dorme-se em São Felix e mais passeios até a próxima cidade, que já não sei mais qual é.
O passeio pros cartões postais do Jalapão são Dunas, Mirante, Cachoeira da Formiga e Fervedouro.
Chegada ao Parque Estadual

Dunas

Outra visão
Cachoeira da Formiga

Fervedouro

 Atração à parte são 3 hrs na caçamba de um 4 x 4. Após revezarmos em 3 grupos. Muito ferro! Por sorte, a moçada que estava no passeio era 10 e propuseram / toparam o rodizio !
De qualquer forma, recomendo a viagem. As paisagens de quando entra-se no Tocantins até o Jalapão são demais. Pra quem curte um off-road, dirija-se imediatamente pra lá. Pois o asfalto começa em 2013...
A estrada é animal, paisagens muito show de bola e 170 km de atrações apenas para o primeiro dia. Alguém se habilita ?
Voltamos com o 4 x 4 a noite ! Era nosso turno né. Só besourada no pescoço, sacolejada  e nada de E.T. Pra me esconder do vento, peguei uma lona branca que provavelmente era utilizada pra desovar corpos no rio, ou recolher boi morto da estrada ou simplesmente cobrir algum turista que passou por aquela caçamba e voltou muito tarde. (Os olhos fechados são apenas devido ao flash do fone do Wlamir, após a segunda foto eu estava com a retina queimada já. Imaginem um escuro absoluto e depois uma luz, que não era ET. Mas confesso, dormi sim ! )


Que situação...
Vejam quanta luz.
Coabitando a caçamba

 Acabou nosso turno e chegou o próximo, não houve um segundo de titubeação ao ouvir a pergunta:
-Pessoal, vamos trocar ?
Chegamos em Ponte Alta do TO as 12:30hs da noite. Afffeeeee.
Este pessoal que citei são de São Paulo também. Vieram de férias, alvará de uma semana, fizeram SP - Veadeiros - Jalapão. Boa viagem moçada !

Foto dos aventureiros

O trecho de lá pra Chapada Diamantina foi tragicômico . Chuva torrencial e só cagada ! 
Chuvisco em Porto Nacional
Precisamos parar num posto de gasolina e demos um tempo lá. Veio um caminhão tanque em alta velocidade; alta velocidade para se entrar em um posto de gasolina com cimento liso e molhado; entrou no posto muito rápido , perdeu o controle e acertou a bomba de diesel, pilastra ( Santa Pilastra que me salvou, pois eu estava atrás dela ) e parou 10 m à frente.
PQP! Escapei "fedendo" como se diz na Bahia ! Estou bem e com um profundo desejo de esganar aquele porco com habilitação !

Olhem o estado da pilastra

Eis o porco


Onde acertou a coluna
Depois desta, não deu pra rodar mais de 600 km e fomos obrigados a dormir em Barreiras, BA. O nome da cidade a descreve perfeitamente e absolutamente nenhum comentário a acrescentar. Só um causo, como não poderia deixar de ter. Fomos a um restaurante chamado Dom Quichope...era o que tinha funcionando para aquela hora...soma a idade mais a viagem de moto, 10 hrs na cama dormindo...
Pedimos uma picanha na chapa.....qdo chegou a picanha, parecia bem apetitosa, com queijo em cima, macaxeira,. farofa e uma pimentinha....delícia ! Começamos a comer e descobrimos que a macaxeira era cacto, a farofa era farinha e a picanha era de bode ! meu Deus...não salvou nada ! A sim, a coca estava uma delícia !

Momento reflexão :
Uma coisa que me chamou atenção e já haviam me dito é o fato de como o Brasil está se desenvolvendo fora de São Paulo, aqui vemos produção e prédio, fora daqui muita muita construção, obras viárias e caminhonetes novas por todo canto. Não é de se espantar que o movimento migratório está em sentido oposto. Eu não ficaria em SP se fosse de outra região. Há uma infinidade de oportunidades fora de São Paulo também! Admito minha ignorância em relação ao exposto acima ! 

De volta as estradas. Mais chuvas e 90km antes de Mucugê  BA encaramos mais um barrinho.... Agora entendo o porque de viciar em Off-Road. Vídeos abaixo. Pau na máquina, suspensão no Hard e mão no cabo. A moto tá tão suja que as vezes eu pego a GS Amarela do Wlamir por engano, a minha é a cinza; risos ao estilo Nilo, nosso ídolo )
Como nada pode ser fácil e trivial, escureceu e nós ainda no Off-Road, ou seja, mistura de Noturnico com Off-road, faixa amarela subindo nas costas várias vezes ......deu tudo certo ! Chegamos em Mucugê, Ba.


Estréia no Off-Road com o mamute...na verdade, segunda apresentação!

Pode chover...já tá tudo molhado mesmo!


Cidade de Palmeiras
video

Mucugê - Foto 1

Mucugê - Foto 2

Mucugê - Foto 3
Mucugê é uma cidade muito legal. Cidade histórica, muito arrumadinha e acesso pra várias atrações. Outra recomendação: durmam em Lençois, BA e façam os passeios de lá. Depois, toca pra Mucugê e façam os passeios daqui e assim por diante.
Tínhamos 12 hrs de Chapada Diamantina apenas para seguir parcialmente o roteiro inicialmente planejado. Quando acordamos adivinhem ??? Chuva !
Após alguma especulação sobre o que seria possível fazer na Chapada Diamantina em apenas 1 dias concluímos que seria : Projeto Sempre Viva, Museu do Garimpo e Poço Azul.
Para quem pensar em ir a estes destinos, sugiro escolher bem a época, Setembro a Março é a época de chuvas e muitas atrações não são possíveis devido as cheias. Não foi nosso caso, mas fica a dica.
No fim das contas, conseguimos fazer apenas o tal do Poço Azul. Espera de 3 hrs e lá se foi o dia. Havia um encontro de um moto clube de todo o Brasil na Chapada no feriado. Tinha gente do Brasil todo com todo tipo de moto. Conversamos com um cara vindo do Amapá ! e as motos eram todas pequenas....Escutei de oreiudo o seguinte : " VTNC, vc tem uma Transalps e tá achando 1200 km longe ?".
Pensei comigo que tinha a obrigação de rodar 1200 km por dia na GS .. (rsrsrs)

Momento Reflexão 2:
Fico impressionando com a quantidade de oportunidades que temos neste Brasil....o passeio que fizemos não é nada inclusivo, trilhas super íngremes e longas, escadas escorregadias , corrimão solto e assim vai.
Fiquei pensando nas pessoas na melhor idade e com deficiência de locomoção, podendo pagar pela viagem, adorariam estar ali e conhecer as atrações locais e não podem. A falta de estrutura é geral e contra visão limitada e mediocridade empresarial não existe medida provisória né governo? Que pena....
As pousadas e guias ficam reféns do povo natureba que viajam para estes lugares, gastam pouco ( pois geralmente são uns duros ) e sustentam uma discussão infundada sobre : " Preservemos a natureza".
O que eles não enxergam e que não vão preservar nada se não entrar DINHEIRO na região. Se não entrar grana, vai tudo virar fazenda de boi, fogo na estiagem e ponto. Acorda gente ! Tá aí o exemplo da CVC que  apostou no segmento e virou uma MEGA empresa ! EUA faz isto melhor que ninguém e a visão de que tudo tem que ser para todos é o que faz uma grande nação. Back to reality...

Decidimos cortar as cidades histórias e seguir pra casa....depois de amanhã é segunda e precisa entrar GRANA para manter os brinquedos, família e etc ....temos 2000 km pela frente até São Paulo, maioria na Fernão Dias e alguns pedaços em estaduais. X era o estado das rodovias no momento.
Pra variar, a janta foi piazza, meu Deus do céu, nunca comi tanta pizza na vida, foram 4 dias de 9. Sim, foi falta de opção. O cardápio da janta foi fácil:
- Brasilia : Petiscos e chope
- São Jorge : Pizza do ET
- Jalapão : Pizza de dois sabores com gosto de um só
- Mucugê: Pizza de novo. Boa desta vez.
- Qual será a próxima?
Saímos o mais cedo possível de Mucugê para ir o mais longe possível. Salinas havia dançado a esta altura. A visita às chaçarias não seria mais possível pois no feriado estariam fechadas então decidimos tocar em frente rumo à Belzonte ! Mas num deu....muita chuva mas estradas boas. O fato das estradas passarem dentro de todas as cidades atrasa demais a viagem, não conseguimos andar muito este dia, ficamos na casa dos 750 km e dormimos em Bocaiuva, MG.
A procura por hotel foi árdua e longa, Hotel A ou B. Ficamos com o B. O dono do hotel era um Eike Batista das Minas Gerais. Ele era dono de um conglomerado empresarial na cidade : Hotel, Sorveteria, Restaurante e Pizzaria. Um império ! Abaixo, a única foto do local ao estilo Tron, o largado!

O cardápio foi adivinhem qual : PIZZA ! ...Mas esta era boa tbm. Depois da Picanha ( de Bode ) em Barreiras...ficou difícil de comer um bifão de novo. Apesar que em Mucugê mandamos uma carne de sol de filet mignon muito boa !
O hotel era ideal para descansar, pois ficava em frente a praça principal da cidade sobre o restaurante mais movimentado e do boteco mais cheio da cidade. Apelei para o santo silicone de natação ( doado pelo Wlamir ) e dormi em paz. Dia seguinte : Objetivo de 980 km rumo a São Paulo! Demos um perdido nas cidades históricas também, precisava estar de volta na segunda ao batente !
Dito e feito ! Tocamos até a Fernão e depois até Sampa. Viagem tranquila, estrada muito boa e paisagens muito bonitas. Fou uma ótima viagem. Nova marca entre o grupo : 460 km sem parar ! Depois disto lascou, precisamos colocar gasolina !
Jogo dos sete erros (Inédito neste blog) :




Aterrissamos em São Paulo às 19 hrs do dia 18/11. A viagem foi excelente e recomendo a todos o roteiro. Se tiverem mais tempo, fica ainda melhor ! No fim das contas, ficou o seguinte:

  1. São Paulo - Ribeirão Preto - Catalão - Cristalina - Brasilia (1030 km)
  2. Brasilia - Alto Paraíso de Goias - Vila de São Jorge ( 270 km )
  3. Vila de São Jorge - Alto Paraíso de Goias - Teresina de Goias - Montes Belos - Porto Nacional - Pte Alta do Tocatins ( 740 km pela rota asfaltada. Dá pra ir por Pindomrana e cortar alguns Kms, mas é estrada de chão )
  4. Pte Alta - Porto Nacional - Barreiras ( 600 km )
  5. Barreiras - Palmeiras ( 70 km de estrada de chão ) - Mucugê ( 480 km )
  6. Mucugê - Bocaiuva (750 km )
  7. Bocaiuva - São Paulo (980 km ) 

O balanço geral da viagem não poderia ser melhor. Paisagens fantásticas, povo extremamente amigável, nenhuma hostilidade, boas acomodações para dormir e as estradas surpreendentemente em ótimas condições.Acredito que demorará um bom tempo para eu querer ir pra Argentina de novo...aqui a diversão é garantida!

Wlamir, meu véio, valeu pela companhia e pela parceria ! Gde viagem !


Wlamir e Hachide a um quarteirão de casa, abastecendo os mamutes pela última vez nesta viagem !
Suja, mas em casa inteira e em um pedaço !







terça-feira, 10 de janeiro de 2012

+ 1....SP- Buenos Aires -SP

Após alguns longos meses sem postagem retorno ao meu diário de bordo ...

Um amigo me fez a pergunta : "Hachide não viajou este ano?".

Respondo-lhes: Este ano ainda não, mas de 05 a 15 de Novembro de 2011 realizei um bate-volta de Háááááli-Daviiiss a Buenos Aires com dois grandes amigos, Daniel & Daniel. Foi uma experiência show de bola, apesar de curta né ...5200km.



Começamos em São Paulo seguindo pela Castelo , seguindo pela Ruta 14 até Buenos Aires. A volta deu-se pelo tradicional Buenos Aires, Buque Bus, Colonia(Uruguay) Montevidéu, Almoço em Punta Del Este, Chui, Torres(RS), Balneário de Camboriú e finalmente São Paulo. Apesar de um pouco atrasado decidi escrever para não passar em branco. Alguns fatos inusitados que aconteceram merecem destaque e seria egoísmo mantê-los para os protagonistas. Seguimos somente de HDs, duas Deluxes e uma 883 Iron...o Danzinho foi de Iron 883 ! Recebeu a patente de Iron man...pois não é fácil encontrar alguém que encara uma viagem deste porte numa Iron....mais destaques  quando eu digo que a única coisa que ele tinha de acessório era um encosto! Sem bolha, sem descanso de pé, sem comando avançado, sem sensibilidades na mão, sem coluna vertebral, sem pernas e assim vai....



Bom, a viagem foi tranquila até Campo Mourão, destaque aos viajantes de primeira jornada e ao Chiquitão que foi ao nosso local de partida para desejar-nos boa sorte e já começar o aquecimento ao Ushuaia. A tocada pela Castelo é bem sossegada. Calor como de costume, já que fomos no começo de Novembro...A primeira parada foi o até Campo Mourão.....750km...(destaques aos companheiros) pois nenhum dos dois DaniEIS haviam feito nada nem parecido e mandaram muito bem...confesso que eu pressionei um pouquinho, pois queria chegar a Foz ...mas chegamos bem perto.
O dia seguinte foi bem tranquilo e conseguimos visitar as Cataratas, dar uma relaxada e jantar muito bem. Destaque para o taxista que parecia um encosto....chamamos um Táxi para ir as Cataratas e apareceu este "amigo"; versão brasileira do Cable guy (Jim Carey). Parecia assombração...Chamamos um táxi para sair para jantar: Cable Guy de Novo...voltamos do jantar...Cable Guy de novo..PQP! O problema é que o sujeito parecia da Gazeta de Foz ou Contigo de Foz ou ainda, Caras de Foz...queria saber onde morávamos, o que fazíamos , quais eram nossas motos, pra onde iríamos,tamanho do calçado e assim vai. Aquele roteiro típico de taxista. Todas as vezes que subimos naquele transporte do inferno começava o interrogatório..sem contar que o P* nunca tinha dois reais de troco....na terceira viagem já tinha levado R$4
de lambuja. No retorno do jantar eu bolei um plano para me vingar, mas o mantive para mim : "Vou pagar R$4 Reais a menos neste retorno quando ele me questionar do resto eu lhe respondo que deve contar a falta de troca para completar ". O Costabile teve ideia similar e tbm não me comunicou ....na saída do táxi me disse: "Xá comigo". Depois ele me disse o que fez: pagou em cheque ! hahahahah...fiquei desolado assim mesmo...pois não queria deixar os R$4 de gorjeta para aquele cara CHATO!

Daniel, Danzig e HachideX

O dia seguinte seria mais "emocionante". Entramos na Argentina sem problemas e começamos a sentar a pua. Uma velocidade incrível : 120Km/h. O dia começou com uma gafe, característica que eu desenvolvi ao longo dos anos. Encontramos uma van de pescadores brasileiros retornando de Corrientes. Papo vai e vem e solto a pérola: Bom, estamos de férias aqui...uam semaninha pra emendar com feriado..férias da mulher e etc...um dos pescadores responde com aquela face triste: "Minha mulher morreu há um mês". Pensei comigo "PQP....tinha que ser comigo". Imediatamente respondi: "Agora vc pode viajar à vontade então" (brincadeiras...não tive coragem...mas juro que pensei). Dei um sorriso amarelo, soltei um sinto muito e só.
O pescador nos alertou e a citação a seguir é literal: "Os putos dos azuzinhos (Policia Camineira) nos levou U$300. Colocou um monte de problemas na van que não tínhamos, reclamou da cerveja, alegou que ultrapassamos nas faixa amarela dupla e assim vai, mencionou que iria prender o veículo e decidimos pagar as multas ali mesmo;esta policia camineira é uma instituição de ladrões." Pensei comigo: Como eles não sabiam lidar com estes mortos de fome? Nos despedimos e seguimos viagem. vcs estão perguntando o porque desta transcrição deste diálogo ridículo? Aguarde cenas dos próximos KMs.

Seguimos viagem, seguimos viagem, seguimos viagem e seguimos viagem. O sol castigou este trecho o dia todo, pegamos trânsito durante uns 10-15 KMs antes de Posadas onde viraríamos à esquerda para seguir pela 14, já que vínhamos da 12. Mantivemos em mente a descrição do Sr. Pescador...."A patrulha antes de Posadas onde há uma construção". Passamos pelos assaltantes/policia Camineira sem problemas...porém percebemos que erramos a entrada...tivemos que voltar e passar em frente aos policiais/assaltantes sem problemas mais uma vez, mas o mesmo raio não cai na cabeça duas vezes. Continuamos sem incidentes. Um aviso aos viajantes em relação aos postos de gasolina, pois continuam não aceitando "Tarjetas de Credito" e muitos dos postos listados no GPS ação de Diesel somente. Preocupávamos com a 883 do Danzig, tanque pequeno e consequentemente menor autonomia. Enfim, deu tudo certo apesar de pararmos com 250km e o tanque tinha apenas mais um litro que comparado com outras paradas consideramos que o tanque estava CHEIO. Nossa rota manteve-se na 14 e cometemos um erro neste trecho, decidimos parar aos 70 e pouco KMs. A estrada está sendo duplicada e as condições do asfalto são ruins para HDs. O erro consumou-se quando procuramos algum lugar pra dormir e não achamos por ali. Tivemos que rodar muito tempo a noite em uma via congestionada de caminhões e participamos do terceiro episódio da trilogia: A morte pede carona/passagem. Era um caminhão imenso, com carreta, vazio que andava a 130km/h empurrando-nos por algumas dezenas de KMs....como diria o Danzig: "Foi tenso"!
O dia só é interessante quando é completo.Logo, após andarmos nas estradas desniveladas, fugirmos do caminhão assassino, vermos duas ambulâncias trocando corpos à beira da estrada chegamos em Chajary. Uma cidade popularmente conhecida por aquele lugar (*) do mundo. Prontamente decidimos pegar o melhor hotel do centro da cidade. O ar condicionado parecia um frigorifico, no check-in já recebemos uma lata de detefon ( eles não tinham pernilongos, eles tinham colônias de pernilongos). O cheiro de cigarro era insuportável, mas as 21:00hs já não havia disposição para caçarmos outros hoteis. Pagamos US$90 por quarto.....DILICIA!

Considerando que havíamos rodado mais do que o objetivo devido ao processo infindável de procura de hotel em alguma cidade não fantasma, restou-nos apenas 350Km até Buenos Aires. Acordamos mais tarde, tomamos nosso café e saímos em direção a CapitaLLL FederaLLL, como dizem lá.
350km ? Moleza, pois a maior parte do trecho em duplicação havia sido percorrido, certo ? Errado...
Na fronteira da província de Entre Rios conhecemos a temida, implacável, morta de fome, miserável, honesta e sem mais delongas: La Policia Camineira!
Pois é, lá estávamos nós em processo de averiguação.
Policía Camieneira: - Documentos de la moto!
Nosotros: Si, por supuesto.
Policia Camineira: -Passaporte!
Nosotros: Si, carajo( improvição do autor), por supuesto.
Policia Camineira: Venga aca.
Nosotros: F*eu...

Lá se vão nossos documentos, passaportes e um gentil convite para acompanharmos os policiais a uma mesa abaixo do nível da rodovia onde perceberiam-nos somente após os corpos estarem em putrefação.
Começa uma longa, complexa, tensa e divertida negociação....O golpe funciona assim ó:

  1. O guarda some com todos os seus documentos.
  2. Depois ele te acusa de infringir uma série de regras e sinalizações de trânsito.
  3. Ele te enquadra na multa mais cara.
  4. Mostra uma tabela de preços com desconto caso se pague na hora. Acredite ou não, com desconto caso pague na hora.
  5. A alegações são feitas com veemência e convicção.
  6. Eles tentam de alguma maneira descobrir quanto (RS$,US$,P$) vcs tem no bolso.
  7. Depois disto começa a pressão e as ameaças: Vou apreender suas motos, não poderão pagar a multa no banco e etc. A famosa criação de dificuldades para a venda de facilidades, a extorsão usual.
  8. Quando começa o risco de perder a negociação, surge uma luz no fim do túnel e fecha-se o negócio.
No nosso caso, o que aconteceu foi simples após alegarmos que não tínhamos dinheiro suficiente na carteira,  o Sr. Guarda sugeriu que fossemos ao banco sacar la plata e voltar para pagar e desta forma não haveria nenhum problema. Desde que, somente se, fosse um de nós ao banco e os outros ficassem lá esperando ( esquemão sequestro). A conversa continuou após eu soltar algumas pérolas sobre a negociação em Portunhol do tipo "estranho" e "esquisita"; o gualda deve ter pensado : "Vou continuar né, tá estranho e esquisito"
Bom, o treco desandou quando um de nós surtou e mandou: "Me dá a multa, leva as motos e pára de tomar meu tempo". Vou pagar esta merda no banco, pelo menos vai pro governo, pensamos coletivamente. 
Em dois minutos o guarda voltou com um "desconto" ainda maior....dizendo que nos enquadraria em outro artigo e somente dois pilotos pagariam as multas e o terceiro sairia ileso graças a camaradagem.
Finalmente, os Smurfs ou a Policia Camineira, entrou no bom e velho esquema da propina....foi reduzindo o preço, as multas e os agravantes até chegarem no valor que havíamos dito ter na carteira, em um certo momento quando acreditávamos ser uma autuação séria. Em resumo, não devolveram nossos documentos, passaporte e etc até pagarmos as multas(propina). Acreditem ou não, os FDPs lavraram as multas com os artigos das multas que cabiam em nossos bolsos e fica a questão: As multas são verdadeiras ? Papai Noel existe ? Lula sabia ou não do mensalão?
Bom, seguimos para Buenos Aires; com muita cautela e tensão, pois os Gualdas nos roubaram e os postos não aceitariam o cartão (rima ridícula). Já em BUE o tradicional, entra na cidade, procura hotel não acha e fica sem gasolina. Opa, como assim , fica sem gasolina ? Sim, advinha quem ficou sem gasolina ? O Danzig ? Afinal é uma 883 com um tanque de 13 L....errado: EU! com um tanque de 20 L.
Passamos o dia em BUE com muita parrila, viño, chorizo, empanada, Norteña e City Tour.
Dia seguinte tocamos para Montevidéu via Colônia...nada de anormal a não ser por um infeliz oficial rodoviário que nos parou com a mesma ladainha do ladrão/policial da Argentina. De primeira já lançamos com muita ênfase, cara feia e mau humor : Se vai multar, manda pau. Não temos dinheiro e pagaremos no banco, vale?
Funcionou. O solícito policial rodoviário mandou  "Buen Viaje" e nós gentilmente retribuímos com um "Vai à merda!"
O destaque foi para nossa estadia em Montevidéu. Decidimos parar para fazer compras...rsrsrsrs. Paramos na HD e dá-lhes troca de pneus, comando avançado para a Iron e assim vai. No período entre troca de pneus e instalação do comando avançado, decidimos procurar hotel. Uma alma abençoada, para compensar o infeliz e solícito oficial, nos ajudou a procurar o hotel. Sú nombre, Xavier. O cara era um funcionário da HD, colocou-nos na caçamba, eu e Danzig, enquanto Daniel foi no banco do passageiro e saímos na procura do hotel. 



Danzig

O passeio demorou algumas horas, não havia hotel disponível na cidade, fomos a muitos e nada disponível. Durante este período, a diversão foi garantida. Xavier soltou cada pérola... Vou listar algumas que me lembro:
  • Os uruguaios são honestos porque são descendentes de espanhóis e não italianos, como os argentinos . (??????)
Frase proferida após contarmos o incidente na Argentina, mas não falamos do mesmo no Uruguay.
  • Não sou casado legalmente, mas assim como todo homem no mundo todo, minha mulher arranca minhas bolas no fim do mês.(Um sábio)
  • A pior viagem que fiz foi a Bolívia, lá não há nada: Gasolina, rua e limpeza. As mulheres defecam na rua da segunda maior cidade do país.(Minha nossa, é assim mesmo ?)
  • O Hotel não é uma grande coisa, mas dá pra ficar.


Nossa passagem por Montevidéu valeu a viagem....os causos continuam....
Logo na entrada do hotel, no momento do check-in, surge de uma sala escura, um senhor muito elegante trajando uma linda, velha e surrada calça-jeans com uma perna mais escura que a outra, uma camisa xadrez e uma blusa de lã daquelas típicas de senhores de idade avançada. Espera aí, calça jeans com uma perna mais escura? Como assim...NNNNNÃÃÃÃÃÃÃOOOO! O dono do Hotel urinou em si mesmo ! creeeedddoooo! Isto no check-in......como será o hotel ? Meu Deus do céu !
Após o incidente bizarro notado por Danzig, The Eagle Eyes, seguimos em direção as motos para pararmos no estacionamento semelhante ao Shopping Morumbi. Não sei se citei, mas nosso amigo Daniel cuida um pouquinho da moto dele e vendo as fotos abaixo, imaginem como foi sua noite de sono ! Principalmente após as motos estacionadas e alguns operários chegando com esfirras, coxinhas, empanadas e etc. Vendo tal fato soltei :
- Dan, imagina aqueles quitutes esta noite ? Os escapamentos serão bastantes úteis.
HAHAHA. Pronto, a noite de nosso amigo estava completa.

Retornando com as malas do estacionamento nos deparamos com uma Besta/Topic/Van lotada com trabalhadores Chineses vindo do porto...Imaginem o Hotel.

Chegando no quarto tudo era no mínimo horroroso. Pra ter uma ideia, tivemos que dormir com a segunda pele, fechei todas as malas e coloquei saco plástico para fechar as entradas contra invasores indesejados e fui dormir na cama posta fora do quarto...na ante-sala da luxuosa acomodação.



Após a noite deliciosa, arejada e sofisticada no Hotel Poltergiest, recolhemos nossas coisas e seguimos para o Chui. No caminho, decidimos dar uma volta em Punta Del Este e almoçar por lá....como faltava poucos KMs para o Chui esta decisão não nos mataria de sono até o destino final.



Daí em diante foi tudo bem tranquilo até chegarmos a Curitiba. Dormimos na cidade do Chui, Balneário Camboriú e finalmente São Paulo. No Chui paramos na tradicional Pizza na Pedra, no lago uruguaio, após 'caroçarmos' nas lojas Duty-Free da cidade. Os preços são bons , um pouco mais caro para alguns produtos mas com uma grande variedade. Recomendo uma visita se estiver pela região.

O destaque infeliz deste trecho deu-se passando por Curitiba, Danzig caiu no único buraco da BR-116 onde se podia acampar dentro. Infelizmente, o buraco danificou a roda e o fez voltar no guincho. Era o fim da viagem para nosso companheiro. Após o reboque da BR-116 ter conduzido-nos a um posto de serviço em alguns minutos chegou o guincho e o táxi da Porto Seguro. Nossa que eficiência, não !? Não! O guincheiro nos viu chegando e "atracou" na esperança de conseguir um trabalho naquela tarde de chuva....nós pensamos que isto era ótimo, pois ficaríamos alí 10min e pronto. Errado mais uma vez ....precisamos cancelar o outro guincho e abrir um chamado pra este que chegou. O processo foi super rápido e após 90min no telefone, à beira da estrada e debaixo de chuva e com o guincho parado ao lado de nossas motos, conseguimos finalizar o processo.

Para não deixa-lo voltar sozinho, o Daniel seguiu junto com o Danzig e eu segui em frente pra SP. A chuva era torrencial e como diria um amigo: Eu fui devorando os KMs da estrada.Quem anda de moto sabe o que significa isto. Fiz 310Km de BR debaixo de chuva e cheguei a SP as 17:40hs do dia 14 de Novembro, era o fim de mais uma jornada !

Fte Abs a todos os amigos que acompanham este blog e até breve.